sábado, 27 de março de 2010

Flor da pele

Olga reclamou: "Teu blog tá morto,né? Vai enterrar quando? Não é por má vontade, nem nada. É que escrevo cada vez menos e gosto do que escrevo menos ainda. Mas, por consideração à Olgueta Malagueta, resolvi postar uma coisa qualquer - e talvez seguir postando quaisqueres. :P


Não que os dias estejam brancos e sem luz.
Mas os cheiros permanecem em roupas
que não quero mais vestir.
Tento - em vão - afogar as lembranças
do dia em que o sol cobriu a noite.
Hoje, quero só a noite
e sonhos engendrados,
construídos com fita e papel laminado.
Quero olhos-camaleão
pra ver o mundo mudar de cor
junto com a íris.
Cansei do mundo em meio-tom.
Agora quero cores inteiras,
a traço,
espessas,
firmes,
cores fogo e tufão
que possam queimar a flor da pele.


3 comentários:

Liv. disse...

Ser unidade, ser verdadeiro.

Lindo.
:*

Carolina de Castro disse...

Não enterra ele (o blog) nao!
Ele ainda respira! =P
Beijos

Jortas disse...

Como é lindo seu desejo de quiemar a flor da pele.
O sol forte a traço forte.
Desejar um mundo bem definido, é quase pedir a perfeição. Conserve esse ideal.
Boas Páscoas!